Sábado
19 de Janeiro de 2019 - 

STANCHI & OLIVEIRA

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .
Japão 1,86% . . . .

Previsão do tempo

Hoje - Rio de Janeiro, RJ

Máx
38ºC
Min
27ºC
Poss. de Panc. de Ch

Domingo - Rio de Janeiro, R...

Máx
37ºC
Min
28ºC
Pancadas de Chuva a

Segunda-feira - Rio de Jane...

Máx
38ºC
Min
27ºC
Pancadas de Chuva a

Terça-feira - Rio de Janei...

Máx
39ºC
Min
27ºC
Predomínio de

Controle de Processos

13ª Semana Nacional da Conciliação acontecerá em novembro

Em 2017, mais de 225 mil processos foram solucionados de forma consensual | Foto: Gil Ferreira/Agência CNJ A 13ª Semana Nacional de Conciliação será entre 5 e 9 de novembro nos Tribunais Estaduais, Federais e do Trabalho de todo o país. O mutirão, criado pelo CNJ (Conselho Nacional de Justiça) em 2006, promove a cultura do diálogo entre as partes de um conflito. Na primeira edição, foram agendadas 83.900 audiências e efetuados 46.493 acordos. Em 2017, mais de 225 mil processos em tramitação foram solucionados de forma consensual. Foram realizadas 318.902 audiências, das quais 70% resultaram em acordo. O valor dos acordos atingiu o montante de R$ 1,57 bilhão. Veja esses e outros resultados do ano passado aqui. Leia também:Toffoli anuncia que STF atuará com ‘juízes e tribunais’ Novas ferramentas do CNJ vão facilitar a rotina dos magistrados Humanista, Dias Toffoli será o líder do Poder Judiciário, afirma Renata Gil Nos meses anteriores à Semana Nacional de Conciliação, os tribunais selecionam os processos em que há chances de acordo e intimam as partes envolvidas a solucionarem conflitos. Cidadãos e instituições também podem pedir a inclusão de seus processos nas pautas da Semana Nacional da Conciliação. Basta procurar o tribunal no qual tramita seu processo e informar que deseja conciliar. As questões ainda sem processo judicial (pré-processual) e outros atendimentos voltados aos cidadãos também podem ser solucionados na Semana. Vale lembrar que é possível procurar o tribunal e propor a conciliação a qualquer momento, não somente durante o mutirão. Os tribunais selecionam mediadores judiciais e conciliadores cadastrados para atuar neste período. Os acordos podem ser utilizados em quase todos os casos: pensão alimentícia, pórcio, desapropriação, inventário, partilha, guarda de menores, acidentes de trânsito, dívidas em bancos e financeiras e problemas de condomínio, entre outros. As exceções são em casos que envolvam crimes contra a vida (homicídios, por exemplo) e situações previstas na Lei Maria da Penha. A conciliação é orientada pela Resolução n. 125/2010 do CNJ, que instituiu a Política Judiciária Nacional de tratamento adequado dos conflitos de interesses no âmbito do Poder Judiciário. Para saber mais informações sobre mediação judicial e conciliação, acesse este link. * Com informações do CNJ
Visitas no site:  2367726
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia