Domingo
22 de Julho de 2018 - 

STANCHI & OLIVEIRA

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .
Japão 1,86% . . . .

Previsão do tempo

Hoje - Rio de Janeiro, RJ

Máx
24ºC
Min
20ºC
Chuva

Segunda-feira - Rio de Jane...

Máx
21ºC
Min
17ºC
Chuvas Isoladas

Terça-feira - Rio de Janei...

Máx
24ºC
Min
16ºC
Nublado com Pancadas

Quarta-feira - Rio de Janei...

Máx
26ºC
Min
17ºC
Nublado com Possibil

Controle de Processos

Entidades participam de congresso fluminense sobre doenças raras

Vitor Fraga Diversas associações de portadores de doenças raras como a Associação Carioca de Distrofia Muscular (Acadim), a Associação Nacional de Osteogênese Imperfeita (Anoi) e a Associação de Apoiadores aos Portadores de Mucopolissacaridose e de Doenças Raras Anjos da Guarda participaram do I Congresso Sobre Doenças Raras do Estado do Rio de Janeiro, que aconteceu na OAB/RJ na última terça-feira, dia 16, no Salão Nobre Antônio Modesto da Silveira. O evento foi organizado pela Comissão de Defesa de Direitos das Pessoas com Deficiência (CDPD) da Seccional. Propostas para enfrentar o descaso do poder público, o preconceito social e o desconhecimento sobre doenças raras estiveram em pauta. O presidente da CDPD, Luis Claudio Freitas, deu as boas-vindas aos participantes. “Este congresso é extremamente relevante para toda a sociedade fluminense. A temática já integra a agenda da CDPD há algum tempo, rompendo com a invisibilidade dessas doenças e trabalhando com a mudança de paradigmas, e o mais importante, com políticas públicas. O descaso do poder público, o preconceito, tudo isso precisa ser modificado”, afirmou. Representante da comissão organizadora e presidente da Acadim, Maria Clara Migowski iniciou os debates defendendo a união dos portadores de doenças raras. “Por conta das dificuldades comuns, deixamos de atuar isolados. Questões pessoais ou políticas não podem nos separar, uma patologia não é mais importante que a outra. Não é porque a minha patologia não tem medicação que não irei lutar pela que tem. Essa ainda é uma temática que desperta pouco interesse, vejo os atores políticos ainda cheios de preconceito sobre doenças raras. Nossa luta é pela vida, pelo direito à saúde, quanto mais mostrarmos nossa cara mais espaços iremos ocupar”, disse ela. A representante da comissão de Saúde do gabinete do senador Romário (Podemos/RJ) Ana Clara Sande, e o representante do Centro de Doenças Raras da Baixada Fluminense Márcio Bravin completaram a mesa de abertura. Ao longo do dia, aconteceram debates para capacitação das instituições e fórum para pacientes e familiares, além de debates sobre questões como a diferença entre grupo de pacientes, associação e Oscip, aplicativos que facilitam a vida de pessoas com deficiência, terapias alternativas e importância das organizações de pacientes.
16/05/2018 (00:00)
Visitas no site:  1741268
© 2018 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia