Terça-feira
11 de Dezembro de 2018 - 

STANCHI & OLIVEIRA

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .
Japão 1,86% . . . .

Previsão do tempo

Hoje - Rio de Janeiro, RJ

Máx
33ºC
Min
21ºC
Parcialmente Nublado

Quarta-feira - Rio de Janei...

Máx
33ºC
Min
22ºC
Poss. de Panc. de Ch

Quinta-feira - Rio de Janei...

Máx
33ºC
Min
22ºC
Parcialmente Nublado

Sexta-feira - Rio de Janeir...

Máx
33ºC
Min
22ºC
Poss. de Panc. de Ch

Controle de Processos

Juíza Marcella Caetana da Costa participa, em Brasília, do 2º Seminário Internacional Brasil - União Europeia

A juíza Marcella Caetano da Costa, em atuação no Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher da comarca de Aparecida de Goiânia, participou, na quarta-feira (5), no Conselho Nacional do Ministério de Justiça (CNMP), em Brasília-DF, do 2º Seminário Internacional Brasil - União Europeia. O evento teve como tema principal “Caminhos para  a Prevenção da Violência Doméstica Contra a Mulher". O evento buscou identificar as possibilidades de atuação do Ministério Público brasileiro no combate à violência doméstica, tendo por exemplo a experiência dos países da União Europeia, na procura de contribuição para o alcance dos objetivos da Política Nacional de Enfrentamento Violência Doméstica contra as Mulheres, instituída pela Resolução nº 254/218, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). À oportunidade, foi assinado um acordo de cooperação teórica entre o CNJ,  o CNMP  e o Ministério dos Direitos Humanos (MDH) para a criação  e implementação do Formulário Nacional de Risco e Proteção à Vida. O questionário tem como objetivo ajudar agentes de polícia, delegados, juízes  e servidores da Justiça a reconhecerem quando é alto o risco de morte da mulher que busca socorro nas instituições. O acordo terá vigência de cinco anos. Dados importantes apresentados no seminário mostram que Brasil ocupa o quinto lugar com maior número de assassinatos de mulheres por violência doméstica no mundo e  que o assassinato de mulheres negras cresceu 54,2%, enquanto o de mulheres brancas decaiu em 10% no ano de 2015. Tweet
06/12/2018 (00:00)
Visitas no site:  2232703
© 2018 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia