Quarta-feira
23 de Janeiro de 2019 - 

STANCHI & OLIVEIRA

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .
Japão 1,86% . . . .

Previsão do tempo

Hoje - Rio de Janeiro, RJ

Máx
38ºC
Min
24ºC
Parcialmente Nublado

Quinta-feira - Rio de Janei...

Máx
37ºC
Min
23ºC
Poss. de Panc. de Ch

Sexta-feira - Rio de Janeir...

Máx
35ºC
Min
23ºC
Poss. de Panc. de Ch

Sábado - Rio de Janeiro, R...

Máx
35ºC
Min
22ºC
Poss. de Panc. de Ch

Controle de Processos

Município de Jambeiro terá que fiscalizar imóveis sem ligação com rede de esgoto

Eventual descumprimento da obrigação acarretará multa.         A 2ª Câmara Reservada ao Meio Ambiente do Tribunal de Justiça de São Paulo manteve decisão que condenou o Município de Jambeiro à obrigação de fiscalizar imóveis urbanos localizados em loteamentos regulares e indicados pela Sabesp como não possuidores de interligação com a rede pública de esgoto sanitário, bem como multar e/ou adotar as medidas administrativas e/ou judiciais cabíveis em face dos proprietários que não interligarem voluntariamente seus imóveis à rede de esgoto disponível. Isso deverá ocorrer no prazo de 30 dias, contados do trânsito em julgado da sentença, sob pena de multa diária de R$ 1 mil.         Conforme os autos, o Ministério Público de São Paulo ajuizou ação narrando, em resumo, que foi apurada, em inquérito civil, omissão do dever de fiscalização, por parte do Município, de imóveis que não possuem a interligação com o esgoto.         Segundo o relator do recurso, desembargador Luís Fernando Nishi, “o direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado é compreendido como direito fundamental por resguardar conteúdo vinculado à dignidade da pessoa humana e a outros direitos fundamentais, sobretudo, a vida, a saúde, a integridade física e o desenvolvimento da personalidade humana, integrando, portanto, o denominado mínimo existencial”. “Nessa ordem de ideias, a mera alegação de ausência de previsão orçamentária é insuficiente para afastar a obrigação assumida, sobretudo se tratando de garantia do mínimo existencial. Anote-se, ainda, ausente qualquer comprovação da inexequibilidade absoluta da obrigação pelo réu”, completou.         O julgamento, unânime, contou com a participação dos desembargadores Miguel Petroni Neto e Roberto Maia Filho.         Processo nº: 0001936-29.2015.8.26.0101                  imprensatj@tjsp.jus.br
12/01/2019 (00:00)
Visitas no site:  2387914
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia