Sábado
15 de Dezembro de 2018 - 

STANCHI & OLIVEIRA

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .
Japão 1,86% . . . .

Previsão do tempo

Hoje - Rio de Janeiro, RJ

Máx
38ºC
Min
22ºC
Pancadas de Chuva a

Domingo - Rio de Janeiro, R...

Máx
37ºC
Min
23ºC
Pancadas de Chuva a

Segunda-feira - Rio de Jane...

Máx
37ºC
Min
24ºC
Poss. de Panc. de Ch

Terça-feira - Rio de Janei...

Máx
36ºC
Min
25ºC
Pancadas de Chuva a

Controle de Processos

‘O Ideal é Real’ será lançado em todo o Brasil, pela AMB, em agosto

Alice, símbolo do projeto, no colo do juiz Sérgio Ribeiro, e os pais Luciana e Thiago Mais um grande passo para ampliar a adoção foi dado: “O Ideal é Real – Adoções Necessárias” terá, agora, alcance nacional. O projeto da AMAERJ que visa mudar o perfil do alvo de adoções será lançado pela AMB (Associação dos Magistrados Brasileiros) no Salão Nobre da Câmara dos Deputados, em Brasília, em 14 de agosto. O projeto terá apoio da Câmara dos Deputados, do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), e dos ministérios do Desenvolvimento Social e dos Direitos Humanos. O presidente da AMB, Jayme de Oliveira, se interessou em difundi-lo à época de seu lançamento na AMAERJ, em janeiro de 2017.  Leia também: Assista aos vídeos do Congresso Brasileiro de Magistrados EMERJ promove debate sobre tráfico de pessoas Luciana Fiala fala à GloboNews sobre medidas protetivas a mulheres Sérgio Ribeiro, diretor de Direitos Humanos e Proteção Integrada da AMAERJ, informou que, depois do lançamento do programa em agosto, percorrerá os Estados com representantes do CNJ e de outros apoiadores para explicar aos juízes o trabalho de “O Ideal é Real”. “A mídia faz uma pergunta recorrente: por que a conta não fecha? No Brasil, temos cerca de 46 mil pessoas habilitadas e 8.500 menores esperando uma família. O que não se entende é que são filas diferentes, de acordo com o perfil escolhido”, explicou o magistrado. O juiz titular da 4ª Vara da Infância, da Juventude e do Idoso percebeu que o perfil mais escolhido é de crianças de até 3 anos, sem doenças e sem irmãos. Para preencher essa lacuna, ele acredita ser importante promover o encontro entre os adotantes e o grupo de adoções necessárias: crianças a partir de 8 anos, adolescentes, grupos de irmãos e infantes com problemas de saúde. “As pessoas preenchem a ficha com uma criança idealizada. Nossa preocupação é mudar essa ótica e mostrar que existem crianças e adolescentes reais, e que ambas as partes podem viver o tão desejado amor de pai e filho”, frisou o magistrado, que continuou: “É um projeto de estratégia. Se pelo menos 20% mudar o perfil, zeramos esse número [de menores a adotar]”. Símbolo do projeto Alice, de dois anos de idade, é o símbolo do projeto. Nascida com microcefalia, paralisia cerebral e epilepsia, a criança foi adotada por Luciana Vilella e Thiago de Paiva em fevereiro do ano passado. O casal estava habilitado para um bebê sem doenças, mas mudou de ideia ao conhecer Alice. “Foi um encontro quase espiritual, quando vi, pensei: ‘ela é a minha filha’”, disse Luciana à época. O processo de adoção de Alice foi concluído pelo juiz Sérgio Ribeiro. Conheça o projeto:
Visitas no site:  2248538
© 2018 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia