Terça-feira
22 de Outubro de 2019 - 

STANCHI & OLIVEIRA

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .
Japão 1,86% . . . .

Controle de Processos

Parlamento Universitário: alunos do litoral querem fazer a diferença

Noite de terça-feira e dezenas de alunos dos mais variados cursos do campus de Matinhos da Universidade Federal do Paraná (UFPR) acompanhavam com atenção o treinamento para participar do Parlamento Universitário. Além da curiosidade natural de conhecer na realidade como é o trabalho de um deputado estadual, o qual poderão simular no mês de julho, duas cadeiras do auditório Juliano Fumaneri Weiss estavam ocupadas por ex-participantes do programa realizado pela Escola do Legislativo da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) e que hoje são exemplos para aqueles que querem vivenciar a experiência.Felipe Lazoski, acadêmico de Turismo, e Marco Antônio, do curso de Administração Pública, passaram a se envolver mais com as demandas acadêmicas e das cidades litorâneas depois que participaram do Parlamento Universitário no ano passado. “Foi um despertar para a política. Eu fazia um acompanhamento superficial, como um ouvinte da política local, mas depois do Parlamento Universitário percebi que tenho mais poder, que a sociedade tem essa condição de mudar as coisas se souber como elas devem ser feitas e o programa me trouxe esse conhecimento que hoje é muito importante”, resumiu Felipe.Ele conta que “dentro da universidade acredito que tenha sido a experiência que mais me tirou da minha zona de conforto, de segurança, porque fui para um lugar que nunca esperava conhecer, tive vivências que desconhecia totalmente.  A visão que eu tinha de fora era totalmente diferente. E hoje eu faço um trabalho de acompanhamento do Executivo e do Legislativo Municipal da minha cidade [Guaratuba],  criei um portal de cidadania e ética [www.oestuario.org], que acompanha o trabalho dos vereadores e a cada momento da minha vida lembro um pouco do Parlamento Universitário, das experiências que troquei com outros universitários e o quanto isso me fez crescer como cidadão”.O diretor de Assistência ao Plenário, Juarez Villela Filho, que foi o responsável por ministrar o treinamento no campus da UFPR em Matinhos, ficou empolgado com o interesse dos alunos e o quanto o Parlamento Universitário está contribuindo para mudar a visão dos jovens. “Foi muito gratificante estar em Matinhos. A troca de experiência foi muito interessante. Por vezes, na docência, a gente acha que vai ensinar muita coisa e acaba aprendendo mais. É uma realidade bastante diferente, de uma cidade pequena, de uma faculdade ainda nova e que abre a oportunidade para o jovem buscar uma luz de um futuro melhor. Vi uma turma muito interessada, perguntando, tirando dúvidas e isso nos deixa muito feliz em ver o alcance do nosso projeto, atingindo pessoas que quando iniciamos o Parlamento Universitário não imaginamos alcançar”.Relembrando a participação de alunos da UFPR Litoral em edições anteriores do projeto, Juarez destacou a mudança que vê nos jovens antes e depois do Parlamento. “Despertar para a política é uma palavra bem adequada. A gente vê claramente que muitos deles passaram a demonstrar mais interesse pela política, para a discussão, para a resolução dos problemas e a consequente melhora ao contexto no qual vivem. Com uma nova visão começaram a encontrar soluções adequadas das demandas que a população acadêmica tem, seja na melhoria do ensino, da comunidade a qual estão inseridos ou no aspecto social. É muito gratificante ver que o Parlamento Universitário vem conseguindo atingir seu objetivo em tão pouco tempo de existência”.Marco Antônio, outro ex-participante, conta que foi uma “experiência muito enriquecedora, em especial por poder levar um pouco de representatividade e questões do litoral para dentro da Assembleia”. Para ele, poder conhecer alunos de outras instituições de ensino superior e de cursos persos o ajudou a ter uma visão mais ampla da sociedade e de como ajudar as pessoas. “Foi uma oportunidade única poder trocar experiências com alunos de outros cursos. Sou formado aqui na Universidade Federal como orientador comunitário. Poder receber e entender essas pautas é muito produtivo para continuar dialogando para educar as pessoas sobre o processo legislativo, uma vez que a população, quanto mais instruída acaba fiscalizando melhor, votando melhor, participa mais da administração pública e ajuda no desenvolvimento da sociedade”.Expectativa boa – Com bons exemplos ao lado, cresceu a vontade dos alunos do litoral em participarem do processo seletivo do Parlamento Universitário. Por isso, ao longo da preleção do diretor Juarez Villela Filho, foram muitos os questionamentos sobre os trabalhos dos parlamentares e dos detalhes que podem fazer a diferença na hora de apresentar bons projetos de lei.“Nosso palestrante conseguiu nos mostrar como é o trabalho de um deputado, como deve ser a sua atuação e pude perceber a importância de uma boa equipe. Sempre achei que era uma função solitária, mas percebi que é preciso estar alinhado com a sua equipe e com o que pensa a sociedade, não basta apenas chegar lá e inventar uma lei. É preciso muito critério e conhecimento para dar a sua contribuição para a sociedade”, observou Alex Freitag, acadêmico de Administração Pública.Seu colega Valner Wasilewski da Silva, aluno do curso de Gestão Ambiental, também considerou a experiência válida e produtiva. “Achei o treinamento muito bacana, bastante informativo. Tive uma noção geral de como funciona de fato, sobre as diferenças nos tipos de leis e o que faz um deputado. Meu objetivo é dar minha contribuição nesse processo. A gente imagina toda a parte legislativa muito distante da sociedade, da realidade local e isso a gente pode levar para contribuir e trocar experiências, trazer conhecimento para a nossa sociedade e contribuir para a formação acadêmica também”.
19/06/2019 (00:00)
Visitas no site:  4527903
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia