Terça-feira
23 de Outubro de 2018 - 

STANCHI & OLIVEIRA

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .
Japão 1,86% . . . .

Previsão do tempo

Hoje - Rio de Janeiro, RJ

Máx
30ºC
Min
17ºC
Parcialmente Nublado

Quarta-feira - Rio de Janei...

Máx
30ºC
Min
17ºC
Pancadas de Chuva a

Quinta-feira - Rio de Janei...

Máx
26ºC
Min
18ºC
Nublado e Pancadas d

Sexta-feira - Rio de Janeir...

Máx
25ºC
Min
19ºC
Pancadas de Chuva

Controle de Processos

Salário proporcional para aposentados por invalidez é criticado em audiência

A proporcionalidade nos proventos de servidores públicos aposentados por invalidez, prevista na Constituição, foi duramente criticada em audiência pública da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) do Senado Federal, nesta terça-feira (9). O objetivo da reunião foi debater a PEC 56/2014, que acaba com o tratamento diferenciado por tipo de invalidez, bastando a constatação da incapacidade laboral, comprovada por perícia médica. Pela regra vigente, quem começou a trabalhar em órgão público até a publicação da Emenda Constitucional 41, em dezembro de 2003, e se aposenta por invalidez permanente só recebe proventos integrais se necessariamente a incapacidade decorrer de acidente em serviço, moléstia profissional ou doença grave, contagiosa ou incurável. Paulo Penteado, assessor da CONAMP e 1º secretário da Associação Paulista do MP (APMP), participou do debate. Ele defendeu a aprovação da PEC e afirmou que a medida restabelece a segurança jurídica dos servidores públicos. “O direito não pode criar situações de absoluta injustiça material. Essa não é uma situação propriamente jurídica, está é uma situação médica. Deveria ser a perícia médica a indicar ou não a necessidade de aposentadoria integral e partidária, e não a norma, pode falhar pode trazer imprecisão de conteúdo”, disse Penteado. Tramitação A PEC 56/2014 aguarda votação no Plenário do Senado, onde já passou por uma discussão em primeiro turno. O vice-presidente da CDH e autor do requerimento da audiência, senador Paulo Paim (PT-RS), se comprometeu com a causa e disse que aguardará o melhor momento para pedir a votação da proposta. Caso o texto seja aprovado, as aposentadorias por invalidez permanente já concedidas deverão ser recalculadas, e a regra será extensiva a todos os servidores titulares de cargos efetivos da União. Se a aprovação acontecer sem alterações no texto que veio da Câmara, a proposta será promulgada. O presidente da CONAMP, Victor Hugo Azevedo, enviou ofício ao presidente do Senado Federal, senador Eunício Lopes de Oliveira (MDB/CE), destacando a importância da apreciação e aprovação 56/2014 pelo Senado. Do site da CONAMP – Com informações da Agência Senado Confira aqui a íntegra da fala de Paulo Penteado na audiência pública sobre a PEC 56/2014.  
Visitas no site:  2057765
© 2018 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia