Quinta-feira
01 de Dezembro de 2022 - 

STANCHI & OLIVEIRA

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .
Japão 1,86% . . . .

Previsão do tempo

Hoje - Rio de Janeiro, RJ

Máx
29ºC
Min
23ºC
Parcialmente Nublado

Sexta-feira - Rio de Janeir...

Máx
30ºC
Min
24ºC
Parcialmente Nublado

Sábado - Rio de Janeiro, R...

Máx
29ºC
Min
24ºC
Parcialmente Nublado

Domingo - Rio de Janeiro, R...

Máx
29ºC
Min
24ºC
Parcialmente Nublado

Controle de Processos

26/09/2022 - 16h46Ejef conclui o curso Depoimento Especial de Crianças e AdolescentesAtividade capacitou profissionais para a escuta de crianças e adolescentes em situação de violência

O curso Depoimento Especial de Crianças e Adolescentes, promovido pela Escola Judicial Desembargador Edésio Fernandes (Ejef), foi concluído na última sexta-feira (23/9). A atividade, com carga horária de 40 horas, teve início em 10 de agosto e ocorreu na modalidade semipresencial, com tutoria e uma aula presencial ministrada no último dia, com o tema Oficina participativa no Estágio I e II do Protocolo Brasileiro de Entrevista Forense. Um dos objetivos do curso foi qualificar ainda mais qualificar juízes e servidores da área da psicologia e da assistência social para melhorar a escuta de crianças no âmbito do Judiciário (Crédito: Divulgação/TJMG) O curso foi destinado a magistradas e magistrados, servidoras e servidores, do cargo de Analista Judiciário, especialidades Psicólogo e Assistente Social, que atuam nas Varas Criminais ou da Infância e Juventude do TJMG. O intuito foi capacitar o aluno a desenvolver a prática de realização da escuta especial de crianças e de adolescentes em situação de violência, seguindo as determinações da Lei nº 13.431, sancionada no dia 4 de abril de 2017. Um dos docentes do curso, o juiz Flávio Umberto Moura Schmidt,  da Comarca de Muzambinho, ressaltou a importância do tema que foi ministrado.  “O depoimento especial é uma escuta protegida que se faz necessária para a proteção das crianças e adolescentes que são vítimas ou testemunhas de violência. É uma forma de nós ouvirmos com acolhimento e proteção de forma diferenciada”, disse. Por isso, segundo o magistrado, é necessário qualificar os profissionais, sejam juízes ou servidores da área da psicologia e da assistência social, para melhorar a escuta das crianças. “Quando a gente ministra esse curso com a intenção de qualificar nossos profissionais para escutar de forma protegida, essas pessoas que são vítimas se sentem mais seguras para fazerem  a narrativa daquilo que presenciaram e daquilo que vivenciaram”, ressaltou o juiz. Além do juiz Flávio Umberto Moura Schmidt, o curso teve como docentes a juíza da Vara Especializada em Crimes contra a Criança e o Adolescente de Belo Horizonte, Marixa Fabiane Lopes Rodrigues; a técnica judiciária da Área de Psicologia do TJMG, Ana Flávia Ferreira de Almeida Santana; e o analista judiciário da Área de Apoio Especializado em Psicologia do TJDFT, Reginaldo Torres Alves Júnior. Diretoria Executiva de Comunicação – Dircom Tribunal de Justiça de Minas Gerais – TJMG (31) 3306-3920 imprensa@tjmg.jus.br instagram.com/TJMGoficial/ facebook.com/TJMGoficial/ twitter.com/tjmgoficial flickr.com/tjmg_oficial        
26/09/2022 (00:00)
Visitas no site:  17759202
© 2022 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia