Domingo
27 de Setembro de 2020 - 

STANCHI & OLIVEIRA

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .
Japão 1,86% . . . .

Previsão do tempo

Hoje - Rio de Janeiro, RJ

Máx
35ºC
Min
19ºC
Parcialmente Nublado

Segunda-feira - Rio de Jane...

Máx
38ºC
Min
20ºC
Parcialmente Nublado

Terça-feira - Rio de Janei...

Máx
30ºC
Min
20ºC
Parcialmente Nublado

Quarta-feira - Rio de Janei...

Máx
34ºC
Min
20ºC
Predomínio de

Controle de Processos

Ausência de irregularidades trabalhistas: Após manifestação da OAB Piauí, MPT-PI arquiva Inquérito Civil

O Ministério Público do Trabalho no Piauí (MPT-PI), por meio da sua Procuradora-Chefe, Maria Elena Rêgo, arquivou o Inquérito Civil instaurado em face da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Piauí. Após averiguações, a Procuradora do Trabalho entende inexistirem irregularidades trabalhistas cometidas pela entidade. Segundo a denúncia recebida pelo MPT, a entidade teria deixado de pagar o auxílio alimentação dos trabalhadores, sem comunicação prévia ou justificativa. Isso porque a OAB Piauí aderiu ao Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda, estabelecido pelo Governo Federal, suspendendo o contrato de trabalho de 27 empregados durante a pandemia do Novo Coronavírus (COVID-19), para evitar o fechamento total da Seccional. “Todos os trabalhadores receberam o pagamento do auxílio alimentação até o mês de junho. A partir de então, o auxílio desses 27 empregados também foi suspenso. Apresentamos documentos ao MPT e ficou comprovado que nossos demais empregados permanecem recebendo regularmente o pagamento do auxílio alimentação”, explica o Secretário-Geral da OAB Piauí, Leonardo Airton. O MPT compreendeu que a entidade vem trabalhando para manter os empregos de todos os seus colaboradores, em um momento de grave crise econômica no país e que, para isso, a Seccional tomou a decisão provisória, de forma a reduzir os impactos causados pela pandemia, na tentativa de preservar empregos. “O auxílio alimentação existe não como uma complementação da remuneração, mas para permitir que o trabalhador possa se alimentar adequadamente quando está trabalhando, tendo em vista que, em regra, em não tem tempo suficiente para se deslocar até sua residência para se alimentar e retornar ao trabalho”, disse Maria Elena Rêgo no Relatório de Arquivamento. Confira o Documento.
14/09/2020 (00:00)
Visitas no site:  8568386
© 2020 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia