Sexta-feira
03 de Julho de 2020 - 

STANCHI & OLIVEIRA

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .
Japão 1,86% . . . .

Previsão do tempo

Hoje - Rio de Janeiro, RJ

Máx
23ºC
Min
15ºC
Parcialmente Nublado

Sábado - Rio de Janeiro, R...

Máx
24ºC
Min
14ºC
Parcialmente Nublado

Domingo - Rio de Janeiro, R...

Máx
26ºC
Min
15ºC
Predomínio de

Segunda-feira - Rio de Jane...

Máx
29ºC
Min
16ºC
Predomínio de

Controle de Processos

Comitê de Crise do TJGO apresenta minuta para retomada gradual de serviços presenciais aos representantes de Justiça

Em reunião por videoconferência nesta quinta-feira (4), o desembargador Carlos Alberto França, presidente da Comissão de Crise, instituída pelo Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO) por meio do decreto 632/2020, apresentou a minuta do decreto com a programação para a retomada gradual das atividades presenciais no âmbito do Poder Judiciário em Goiás. Os representantes da comissão, formada por instituições que compõem o Sistema de Justiça, foram favoráveis às sugestões expostas pelo TJGO. A proposta do tribunal foi elaborada seguindo as determinações da Resolução nº 322, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), publicada no dia 1º de junho de 2020. No documento, o CNJ estabelece regras mínimas para a retomada dos serviços jurisdicionais presenciais no âmbito do Poder Judiciário nacional, nos tribunais onde isso for possível. A resolução diz, em seu artigo 2º, que “a retomada das atividades presenciais nas unidades jurisdicionais e administrativas do Poder Judiciário deverá ocorrer de forma gradual e sistematizada, observada a implementação das medidas mínimas previstas nesta Resolução, como forma de prevenção ao contágio da Covid-19.” Com a manifestação dos representantes, o desembargador Carlos Alberto França, que também ocupa o cargo de Ouvidor do Poder Judiciário, disse que as datas ainda não serão pulgadas porque, agora, a proposta, com a concordância de todos, será analisada pelo presidente do TJGO, desembargador Walter Carlos Lemes, para edição e publicação do decreto. Opinião dos representantes Para o procurador-geral da Justiça, Aylton Flávio Vechi, a minuta do decreto do TJGO atende o momento e o Ministério Público do Estado fará adaptações para a atuação harmônica dos atos do MP-GO. O procurador ainda ressaltou que “apesar de todos os entraves, temos conseguido evoluir e superar a produtividade nas instituições”.“Todas as questões pontuais que vão emergindo no curso desses fluxos, nós temos encontrado soluções. Concordo com o Tribunal de Justiça e elogio a minuta, muito justa e equilibrada. Tenho certeza que vamos sempre conseguir achar o ponto de equilíbrio”, declarou o defensor público-geral do Estado de Goiás, Domilson Rabelo da Silva Júnior. O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Goiás, Lúcio Flávio Siqueira de Paiva, elogiou a condução do TJGO durante o período emergencial, dizendo que o tribunal tem conseguido dar as respostas esperadas pela advocacia e pelos cidadãos. “Acredito que o encaminhamento tem que ser esse mesmo, com muita cautela na trilha daquilo que o CNJ acenou. Passamos agora a um momento de começar uma reabertura, mas ela tem que ser segura, gradual. Nós só vamos sair desse momento gravíssimo dialogando e trabalhando juntos.” Além dos representantes do sistema de Justiça, previstos na resolução do CNJ, o desembargador também convidou para reunião membros de associações de magistrados e promotores e sindicatos de servidores do sistema de Justiça. A presidente da Associação dos Magistrados de Goiás (Asmego), juíza Patrícia Carrijo, ressaltou que o mais importante é manter a prestação jurisdicional adequada, que é o que a sociedade espera do Poder Judiciário. “Essa proposta, para esse primeiro momento, permitindo esse retorno gradual, é o que a gente precisa”. ParticipantesA videoconferência ainda contou com a participação, pelo TJGO, da juíza auxiliar da Presidência, Sirlei Martins da Costa; do juiz auxiliar da Corregedoria-Geral da Justiça, Aldo Guilherme Saad Sabino de Freitas; do diretor do Foro da comarca de Goiânia, juiz Paulo César das Neves; dos magistrados Laura Ribeiro de Oliveira (comarca de Nerópolis) e Rodrigo de Melo Brustolin (comarca de Rio Verde) e do diretor do Centro Médico do TJGO, Paulo Henrique. De outras instituições participaram o representante da Procuradoria-Geral do Estado, procurador Frederico Antunes Costa Tormin; o procurador-geral do município de Goiânia, Brenno Kelvys Marques; o presidente da Associação Goiana do MP-GO, José Carlos Miranda Nery Júnior; o defensor público Allan Joos; o presidente do Sindjustiça, Fabrício Duarte e o presidente do Sindojusgo, Moizés Bento. (Texto: Daniela Becker - Centro de Comunicação Social do TJGO).
04/06/2020 (00:00)
Visitas no site:  7519141
© 2020 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia