Quarta-feira
27 de Janeiro de 2021 - 

STANCHI & OLIVEIRA

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .
Japão 1,86% . . . .

Previsão do tempo

Hoje - Rio de Janeiro, RJ

Máx
33ºC
Min
26ºC
Poss. de Panc. de Ch

Quinta-feira - Rio de Janei...

Máx
34ºC
Min
26ºC
Parcialmente Nublado

Sexta-feira - Rio de Janeir...

Máx
34ºC
Min
27ºC
Predomínio de

Sábado - Rio de Janeiro, R...

Máx
34ºC
Min
27ºC
Parcialmente Nublado

Controle de Processos

Exposição Identidades está em cartaz na Procuradoria Geral de Justiça

O Espaço de Artes Márcia Sandes, na Procuradoria Geral de Justiça, Calhau, recebe, desde a última quinta-feira, 3, a exposição coletiva “Identidades”. A mostra, que foi aberta junto com o 10º Congresso Estadual do Ministério Público do Maranhão, traz obras em variados suportes e linguagens, buscando construir um painel representativo da persidade cultural e artística de origem indígena e afro-maranhense. A parte da exposição fotográfica que retrata o dia a dia dos quilombos Alto Bonito, Condurú, Cutias, Oriente, Santo Antônio e Tibiri, todos na região do município de Penalva, foi montada com fotos cedidas por Roberto Sobrinho e Jasf Andrade. Já as fotografias em tribos das etnias Awá, Canela, Guajá, Guajajara, Ka’apor e Tentehar foram cedidas pelo Centro de Pesquisa de História Natural e Arqueologia do Maranhão (Cphanama), sob curadoria de João Damasceno Figueiredo Júnior. A exposição, que fica em cartaz até 29 de janeiro, também traz obras dos ceramistas Nilma Teresa Alves, Vanusa Moraes Ribeiro e Vitória Rodrigues, da Associação Comunitária de Amigos do Estaleiro Escola (Tamancão); e esculturas de Ângela Ferreira, Izabel Matos e Jean Charles. Um conjunto de peças de artesanato indígena maranhense de várias etnias, disponibilizado pelo Cphanama, complementa a mostra. Para Dulce Serra, curadora da exposição ao lado de Francisco Colombo, a mostra tem como objetivo se encaixar com a temática do Congresso do MPMA. “As diferenças sociais foram agravadas durante a pandemia. Indígenas e negros são os que mais sofreram e a gente contextualiza isso na exposição”, concluiu. Também estão em exposição no Espaço de Artes Márcia Sandes quadros da artista plástica Cláudia Sopas, que utiliza a técnica de encáustica. Esse tipo de pintura surgiu na Grécia e é uma das mais antigas técnicas existentes. Consiste na mistura da cor em pó com cera, aquecida e derretida. Posteriormente, o pigmento é aplicado à superfície. Por conta da pandemia do novo coronavírus, a exposição Identidades só pode ser visitada mediante agendamento pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou pelos telefones 3219 1997 ou 3219 1998.
04/12/2020 (00:00)
Visitas no site:  9891157
© 2021 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia