Terça-feira
24 de Novembro de 2020 - 

STANCHI & OLIVEIRA

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .
Japão 1,86% . . . .

Previsão do tempo

Hoje - Rio de Janeiro, RJ

Máx
26ºC
Min
21ºC
Chuvas Isoladas

Quarta-feira - Rio de Janei...

Máx
27ºC
Min
22ºC
Possibilidade de Chu

Quinta-feira - Rio de Janei...

Máx
30ºC
Min
23ºC
Predomínio de

Sexta-feira - Rio de Janeir...

Máx
30ºC
Min
24ºC
Predomínio de

Controle de Processos

INSTITUCIONAL: TRF1 celebra o Dia do Servidor com música e palestras

Um vídeo gravado por servidores das 14 unidades da Federação que compõem a 1ª Região abriu as comemorações do Dia do Servidor, celebrado nessa quarta-feira, 28 de outubro. Eles entoaram a música “Amanhã”, do artista Guilherme Arantes – uma espécie de boas-vindas diante de um ano tão diferenciado com a pandemia da Covid-19, que trouxe meses de isolamento social. Por esse motivo, o evento foi totalmente on-line. A celebração foi realizada em parceria com a Seção Judiciária do Distrito Federal (SJDF). A transmissão ocorreu ao vivo na plataforma Teams (com cerca de 100 visualizações) e também no canal do TRF1 no YouTube (em torno de 520 visualizações). Após a exibição do clipe musical, o presidente do TRF1, desembargador federal I'talo Fioravanti Sabo Mendes, fez o seu pronunciamento de abertura no qual parabenizou e agradeceu aos servidores da JF1 “pelo empenho, pela luta e pelo trabalho às vezes não compreendido no dia a dia, mas que é um trabalho que leva todo cidadão brasileiro a ter na presença do Estado a sua própria presença”. O magistrado agradeceu também aos servidores da JF que estão nas varas de fronteiras, “porque são esses servidores que elevam bem alto a Bandeira do Brasil nos mais distantes e distintos rincões”. Ele lembrou, ainda, que a data é uma das mais importantes para os brasileiros. “É o momento que o cidadão tem para reconhecer o seu servidor e todo o serviço que por ele é prestado”, enfatizou o desembargador federal I'talo Mendes. Hábitos da felicidade – Após o pronunciamento do presidente, o juiz federal Willian Douglas, da 4ª Vara Federal de Niterói/RJ, proferiu a palestra “Felicidade e Serviço Público”. O magistrado abordou a felicidade dos servidores públicos e como estender esse sentimento ao ambiente que os cerca. Segundo Willian Douglas, os servidores devem se sentir felizes mesmo com todas as adversidades que estão vivendo neste ano de 2020. “Nós temos que nos sentir muito felizes por sermos servidores, pois existem pessoas sonhando em serem aprovadas num concurso público”. Ele apontou que o desânimo que muitos porventura sofrem é decorrente da rotina. “Tudo que nós temos perde um pouco a graça; depois que a gente conquista, a gente não valoriza mais”. Para sair dessa situação, o juiz federal sugeriu o exercício de “revisitar o passado e reavaliar o presente. Você vai ser mais feliz”. Ele apontou, ainda, cinco hábitos que, se praticados, podem impactar diretamente no nível de felicidade das pessoas: interagir com pessoas felizes; ser generoso; agir; lidar com o que você pode e trabalhar por algo maior que você. A segunda palestra do evento, “Viver é Conviver: Excelência na Relação entre Pessoas” foi apresentada pelo consultor empresarial e coaching Kau Mascarenhas, que abordou a convivência no serviço público a partir de uma visão humanista e filosófica amparada na mitologia. Com o ponto de vista filosófico de que “viver é conviver”, Kau Mascarenhas destacou a ação de prestar serviços, que é “colocar a sua capacidade a serviço de algo maior”. Para isso, segundo o coaching, é necessário conhecer quem o outro é. “Para alguém ajudar e servir é muito importante estar em verdadeira conexão com o outro, aquele que necessita do serviço”. Outro ponto enfatizado por Kau Mascarenhas é a importância de se lidar com a ideia de impermanência. “O que podemos fazer para que o nosso melhor esteja a serviço do serviço? O que podemos fazer para tocar a vida de outros seres humanos da melhor forma possível?”, indagou. Explicou o consultor empresarial que todos têm um preço a pagar para darem o seu melhor, para compartilhar aquilo que têm com aqueles e aquelas que necessitam do seu serviço, e que para isso sempre será necessário fazer escolhas. “Somos, também, seres da incerteza, sem nenhuma garantia de que o mundo será sempre da maneira que queremos”, lembrou. Ainda durante a apresentação dele, Kau Mascarenhas apresentou os conceitos de imprevisibilidade (“o que fazemos com o que fazem conosco?”) e de interdependência dos seres humanos. “Como seres interdependentes, nós necessitamos uns dos outros”. Ao fim de sua apresentação, Kau Mascarenhas concluiu que a grande chave para lidarmos bem com as realidades apresentadas (impermanência, incerteza, imprevisibilidade e interdependência) é a boa convivência em conexão com as pessoas. Finalizando as comemorações, o servidor César Alencar, do TRF1, apresentou, ao som do violão, a música “O que é o que é”, do cantor e compositor Gonzaguinha. Algumas mensagens enviadas pelos internautas que acompanharam o evento mostram que o conteúdo da comemoração foi motivador. “Que palavras maravilhosas. Tocaram dentro do meu ser. É isso que sou, e suas palavras acenderam ainda mais a chama da felicidade dentro de mim. Obrigada, Dr. William!”, escreveu uma internauta no chat do YouTube durante a transmissão da celebração. Palestrantes: William Douglas, além de juiz federal, é pós-graduado em Políticas Públicas e Governo; mestre em Direito; professor universitário; escritor premiado com mais de dois milhões de livros vendidos, entre eles “Como Passar em Provas e Concursos”, em sua 29ª edição, com mais de 200 mil exemplares vendidos. Kau Mascarenhas, é formado em Arquitetura; palestrante; escritor; consultor empresarial e coaching. É sócio-diretor do Instituto Kau Mascarenhas e realiza cursos de formação e programação neurolinguísticas. RF Assessoria de Comunicação Social Tribunal Regional Federal da 1ª Região 
29/10/2020 (00:00)
Visitas no site:  9277624
© 2020 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia