Quarta-feira
17 de Abril de 2024 - 

STANCHI & OLIVEIRA

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .
Japão 1,86% . . . .

Previsão do tempo

Segunda-feira - Rio de Jane...

Máx
32ºC
Min
24ºC
Chuva

Terça-feira - Rio de Janei...

Máx
34ºC
Min
26ºC
Parcialmente Nublado

Hoje - Rio de Janeiro, RJ

Máx
35ºC
Min
27ºC
Parcialmente Nublado

Quinta-feira - Rio de Janei...

Máx
34ºC
Min
26ºC
Parcialmente Nublado

Controle de Processos

Mais cinco comarcas são inspecionadas pela CGJAL no Sertão

A Corregedoria Geral da Justiça (CGJAL) inspecionou mais cinco comarcas do Sertão de Alagoas, nesta quarta-feira (28). As visitas foram cumpridas em Santana do Ipanema, Pão de Açúcar, São José da Tapera, Piranhas e Maravilha.O Corregedor-Geral Domingos Neto afirmou que o propósito das inspeções é acolher magistrados e servidores, fazer um diagnóstico das unidades para identificar o que é preciso corrigir, como também  para copiar o que está dando certo para outras comarcas.“Não vejam essa visita como uma fiscalização punitiva. O que nós queremos é contribuir, para que a gente preste o melhor serviço possível, porque acredito que todos estão nos melhores propósitos de prestar uma jurisdição de qualidade, de maneira efetiva”, afirmou.Em Pão de AçúcarNa Comarca de Pão de Açúcar, o juiz Lucas Carvalho Tenório de Albuquerque afirmou que o plano de trabalho da Corregedoria tem o intuito de beneficiar a sociedade, para garantir celeridade na resolução de processos.“Eu enxergo de uma forma excelente essa visita. O Corregedor, ao fazer sua apresentação no início da inspeção, abordou que sua intenção é eminentemente pedagógica; não é uma intenção com intuito fiscalizatório, mas, sim, de trazer algumas orientações para que a gente possa melhorar a realidade da unidade”. O magistrado explicou, ainda, que a Corregedoria apresentou quais foram os principais equívocos cometidos pela unidade em 2023, como também apontou ações que podem ser adotadas para cumprir as metas do Tribunal de Justiça (TJAL) e do Conselho Nacional de Justiça para 2024.Em São José da Tapera“Eu fico muito feliz que a sociedade de São José da Tapera esteja tão bem assistida pela Justiça”. Essas palavras são da juíza auxiliar da CGJAL, Marcella Pontes, durante reunião com o Des. Domingos Neto, com o juiz Leandro de Castro Folly e com os servidores da Comarca, ao constatar a evolução da unidade.“No ano de 2023, a comarca conseguiu atingir todas as metas cobradas pelo CNJ e pela Corregedoria. Hoje não tem nem um processo paralisado há mais de 100 dias; e isso mostra o comprometimento da equipe, tanto do cartório quanto do gabinete. Verificamos que essa evolução aconteceu pela chegada de novos servidores e pela a permanência de juiz titular”.Quem também ratificou a imprescindibilidade do juiz titular na Comarca foi a servidora Maria Solange Alves Silva, que atua na unidade há mais de 20 anos. “A partir do momento que veio um juiz titular, as coisas melhoraram bastante. Hoje a Comarca de São José da Tapera está excelente. Nós também temos um corpo de trabalho unido e isso ajuda bastante”, ratificou.Servidores da Comarca de São José da Tapera. Foto: Niel RodriguesApoio às comarcas vagasDomingos Neto também falou das providências que serão tomadas pela Corregedoria para suprir as necessidades das comarcas de Piranhas, Olho D’água das Flores, Cajueiro e Taquarana. Essas unidades precisam de reforços, visto que ainda não têm juízes titulares.De imediato, o Corregedor-Geral vai solicitar o apoio dos Programas Interagir e Justiça Efetiva, para que auxiliem as comarcas vagas até a chegada dos novos juízes, que deve ocorrer no mês de abril, logo após o curso de formação.“Há algumas unidades que carecem de uma atenção maior, mas, para minha surpresa, a grande maioria vem lidando bem com as demandas postas - que são muitas. A solução duradoura somente ocorrerá com a entrada dos novos juízes”, explicou.Niel Rodrigues - Ascom CGJALimprensacgj.al@gmail.com
28/02/2024 (00:00)
Visitas no site:  22333563
© 2024 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia