Domingo
11 de Abril de 2021 - 

STANCHI & OLIVEIRA

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .
Japão 1,86% . . . .

Previsão do tempo

Hoje - Rio de Janeiro, RJ

Máx
30ºC
Min
22ºC
Predomínio de

Segunda-feira - Rio de Jane...

Máx
31ºC
Min
24ºC
Chuva a Tarde

Terça-feira - Rio de Janei...

Máx
25ºC
Min
24ºC
Chuva

Quarta-feira - Rio de Janei...

Máx
26ºC
Min
23ºC
Nublado

Controle de Processos

Presidência do TJPR acompanha andamento de PEC Emergencial em Brasília

Presidência do TJPR acompanha andamento de PEC Emergencial em Brasília Proposta trata de mecanismos para conter despesas públicas e pode afetar magistrados e servidores Qua, 24 Fev 2021 19:47:05 -0300 Em visita ao Senado Federal e à Câmara de Deputados, integrantes da Cúpula Diretiva do Tribunal de Justiça do Estado do Paraná (TJPR) acompanharam o andamento da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) Emergencial que trata da discussão de mecanismos para conter despesas públicas e que pode afetar magistrados e servidores. A apreciação da PEC está na pauta do Senado e pode ser votada ainda nesta semana. A comitiva do Judiciário paranaense que acompanhou os desdobramentos da PEC Emergencial foi formada pelo Chefe da Corte paranaense, Desembargador José Laurindo de Souza Netto; pelo 1º Vice-Presidente, Desembargador Luiz Osório Moraes Panza; e pelo Juiz Auxiliar da Presidência, Anderson Ricardo Fogaça. Durante a visita, os magistrados conversaram com persas autoridades e especialistas, a fim de analisar os pontos que envolvem a proposta. Além disso, foram recebidos pelos Deputados Federais Pedro Lupion e Ricardo Barros, do Paraná, e, ainda, pelo Presidente do Senado Federal, o Senador Rodrigo Pacheco.   Sobre a Proposta de Emenda à Constituição A PEC Emergencial, que circula no Senado, estipula mecanismos para conter as despesas públicas. Nos estados e municípios, os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário poderão usar gatilhos de contenção de gastos se as despesas correntes passarem de 95% das receitas correntes. Nesses casos, ficam vedados: aumentos de salários; criações de cargos; alterações em carreiras; realizações de concursos públicos; criações ou aumentos de auxílios; entre outras proibições. Os governadores, os prefeitos e, até mesmo, os tribunais poderão usar essa ferramenta quando a despesa superar 85% da receita corrente.  
24/02/2021 (00:00)
Visitas no site:  10679128
© 2021 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia