Sexta-feira
23 de Outubro de 2020 - 

STANCHI & OLIVEIRA

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .
Japão 1,86% . . . .

Previsão do tempo

Hoje - Rio de Janeiro, RJ

Máx
28ºC
Min
20ºC
Parcialmente Nublado

Sábado - Rio de Janeiro, R...

Máx
29ºC
Min
21ºC
Pancadas de Chuva

Domingo - Rio de Janeiro, R...

Máx
24ºC
Min
22ºC
Nublado

Segunda-feira - Rio de Jane...

Máx
26ºC
Min
22ºC
Parcialmente Nublado

Controle de Processos

Programa de Apadrinhamento da CIJ é apresentado em evento virtual do Acalanto

A Juíza Rosa Geane Nascimento, Coordenadora da Infância e Juventude (CIJ) do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE), falou sobre o Programa de Apadrinhamento Ser Humano, destinado a crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social, a convite do projeto ‘Conversando sobre adoção’, organizado pelo Grupo de Apoio à Adoção Acalanto Sergipe. O evento virtual aconteceu na tarde da última terça-feira, 22/09. “O Programa de Apadrinhamento Ser Humano foi criado pela CIJ em 2009 e agora completou 11 anos de pleno e exitoso funcionamento. Acredito que foi justamente no mês de setembro que autorizamos o início da primeira turma de padrinhos no Juizado da Infância e da Juventude de Aracaju. Estamos aqui para celebrar esse maravilhoso Programa e seus bons resultados e para esclarecer aos interessados como fazer para participar dele. Padrinho ou madrinha é alguém que na ausência dos pais deve ser um referencial para a criança ou adolescente”, ressaltou a Juíza Rosa Geane. O Ser Humano tem três modalidades de apadrinhamento: Afetivo, para oferecer atenção e carinho; Provedor, de contribuição financeira; e o Colaborador, destinado a profissionais de persas áreas que possam prestar algum tipo de serviço. A magistrada lembrou que o programa busca efetivar o artigo 227 da Constituição Federal e o artigo 4º do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). “O artigo 227 da Constituição está no meu coração e o meu sonho é ver a sua total efetivação. Isso porque ele diz, em suma, que todos nós somos responsáveis e devemos proteger as crianças e adolescentes e efetivar os seus direitos, inclusive dando aos acolhidos o direito à convivência social e comunitária”, explicou a Juíza. Conforme Érika Fernandes, Presidente do Acalanto Sergipe, muitas pessoas demonstraram interesse sobre o Programa de Apadrinhamento Ser Humano, por isso a ideia do encontro virtual sobre o tema. “E não há ninguém melhor para explicar isso que a Doutora Rosa Geane, que há muitos anos trabalha na área da infância e juventude”, acrescentou Érika. Também participaram do evento o Desembargador Edson Ulisses de Melo e sua esposa, a advogada Dra. Maria do Carmo Déda; a Desa. Sandra Tenório do TJGO, a Promotora de Justiça Lilian Carvalho, diretora do Centro de Apoio Operacional da Infância e Adolescência (CAOp) do Ministério Público de Sergipe; o Juiz de Direito Haroldo Rigo, Presidente do Fórum Nacional da Justiça Protetiva (Fonajup); a psicóloga e professora Marlizete Vargas; o psicólogo da CIJ, Sérgio Lessa, que explicou a maneira de participação no programa; dentre outros. Quer saber mais sobre o Programa de Apadrinhamento Ser Humano? Clique aqui, confira todas as informações e tenha acesso às fichas de inscrição.
25/09/2020 (00:00)
Visitas no site:  8925731
© 2020 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia