Quarta-feira
29 de Janeiro de 2020 - 

STANCHI & OLIVEIRA

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .
Japão 1,86% . . . .

Controle de Processos

Treinamento in loco auxilia nas orientações sobre PJe nos Juizados Especiais

Servidores dos Juizados Especiais Cíveis da Capital já estão utilizando o Processo Judicial Eletrônico (PJe) no ambiente de trabalho. Ao longo desta semana, instrutores do Tribunal de Justiça de Mato Grosso estarão in loco promovendo o projeto ‘On the Job’, que vai auxiliar nas dúvidas, já que a partir desta segunda-feira (12 de agosto), todos os processos que forem protocolados nessas unidades serão feitos de forma online. Os facilitadores estarão nos Juizados do complexo Maruanã e Fórum de Cuiabá.   Essa implantação do PJe é uma medida que está no plano de expansão do sistema na Justiça Estadual de Mato Grosso e atende também a projeção da gestão 2019/2020 de ter todas as unidades do Poder Judiciário utilizando o sistema até 2020.   Também nesta segunda-feira foi cadastrada a primeira ação pelo PJe, na Central de Protocolo do Juizado do Maruanã. Lá mesmo, o instrutor Fidélis Cândido Filho orientou e tirou dúvidas dos servidores.   “Esse suporte é essencial porque quando as pessoas recebem o treinamento, recebem muitas informações, principalmente servidores de secretarias e gabinetes e quando começam a trabalhar com o sistema surgem dúvidas. Por isso, o Tribunal desenvolveu o ‘On The Job’, para acompanhar os trabalhos”.   Quem aprovou a ideia de receber as orientações no local de trabalho foi o gestor do Protocolo do Juizado Especial do Complexo Maruanã, Marcelo Bulhões. São muitas as tarefas a serem executadas, por isso afirma que “foi a melhor coisa que poderia ser feito, porque não temos tempo de nos deslocar até o tribunal”, disse, ao ressaltar que na hora o instrutor auxilia quando surge os questionamentos.   Para o gestor, a expectativa é que a partir de agora, com a implantação do PJe nos juizados, os trâmites serão muito mais rápidos, beneficiando também a população que ingressa com os processos judiciais.   O professor Raulim Galvão é o autor da primeira ação eletrônica, citada acima. Ele ingressou com processo contra uma instituição de ensino após ter o nome negativado indevidamente e, com isso, ficou impossibilitado de comprar um imóvel. No momento em que estava fazendo o protocolo, pôde acompanhar o treinamento dado aos servidores. “Espero que meu processo tenha celeridade tendo em vista a urgência que preciso para efetuar o financiamento de uma casa. Com o processo eletrônico espero que tudo seja resolvido o quanto antes”, falou.   A implantação do PJe em Mato Grosso teve início em 2011 e hoje é realidade em toda a 2ª Instância, nas unidades judiciais com competência cível da Entrância Especial, 3ª Entrância, 2ª Entrância e 1ª Entrância, nos Juizados Especiais Cíveis e de Fazenda Pública, com exceção das varas cíveis das Comarcas de Barra do Bugres, Barra do Garças e Tangará da Serra. Essas unidades restantes estarão inseridas no PJe até o final de 2020, totalizando 100% de implantação, segundo o cronograma.   Leia matérias relacionadas: Juizados de Cuiabá começam a trabalhar com PJe a partir do dia 12 de agosto   Agilidade processual: Processo Eletrônico otimiza trabalho da 2ª Vara de Direito Bancário            
Visitas no site:  5737998
© 2020 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia