Sábado
24 de Agosto de 2019 - 

STANCHI & OLIVEIRA

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .
Japão 1,86% . . . .

Previsão do tempo

Hoje - Rio de Janeiro, RJ

Máx
25ºC
Min
15ºC
Possibilidade de Chu

Domingo - Rio de Janeiro, R...

Máx
26ºC
Min
17ºC
Possibilidade de Chu

Segunda-feira - Rio de Jane...

Máx
27ºC
Min
18ºC
Parcialmente Nublado

Terça-feira - Rio de Janei...

Máx
27ºC
Min
18ºC
Predomínio de

Controle de Processos

XIII Jornada Maria da Penha: inscrições abertas

A Aplicação do Questionário de Avaliação e Gestão de Risco na Violência Doméstica contra a Mulher: esse será o tema central da 13ª edição da Jornada Lei Maria da Penha. O encontro, promovido anualmente pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ocorrerá em Brasília, no Superior Tribunal de Justiça (STJ), nos dias 8 e 9 de agosto. As inscrições podem ser feitas aqui até 2 de agosto.   A Jornada reúne magistrados, delegados, policiais civis e militares, advogados, promotores, defensores públicos, profissionais da área da saúde e da assistência social e demais convidados dos órgãos formadores do Sistema de Justiça para debater os desafios no efetivo cumprimento da Lei Maria da Penha (Lei nº 11.340/2006) no país.   Entre os convidados para esta edição estão a psicóloga do Núcleo de Prevenção e Assistência a Situações de Violência (Nupav) da Secretaria de Saúde do Governo do Distrito Federal, Marcela Novais Medeiros, que abordará o impacto da violência conjugal na saúde mental de mulheres, filhas e filhos jovens e adultos e o professor da Universidade Federal do Ceará e do Programa de Pós-Graduação em Economia (CAEN/UFC) José Raimundo Carvalho, que falará sobre o impacto da violência doméstica no mercado de trabalho e na produtividade das mulheres. Ao fim do evento, uma Carta de Intenções será elaborada, ratificando as discussões e decisões aprovadas no encontro.   Histórico   Uma vez ao ano, desde 2007, o CNJ realiza a jornada de trabalhos sobre a Lei Maria da Penha. As jornadas contribuíram na implantação das varas especializadas nos estados, incentivaram a troca de experiências exitosas entre tribunais (boas práticas como Botão do Pânico, Ronda Maria da Penha, dispositivo em celular, entre outros), além de uniformizarem procedimentos das varas especializadas em violência doméstica e familiar contra a mulher.    
Visitas no site:  3819433
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia